Negligência, Imprudência, Imperícia, ineficiência, inexperiência ou conduta dolosa de alguns médicos da maternidade de Peruíbe?

NEGLIGENCIA

Uma senhora teve uma bebezinha no sábado dia (12/04/2014) às 17:20 na maternidade do antigo Pronto Socorro Central, segundo uma das cunhadas da paciente ela deu entrada no Hospital Central e não havia nenhum médico para atendê-la não estavam deixando a acompanhante entrar junto com a paciente, e uma das cunhadas praticamente fez o parto da bebezinha, segundo a cunhada quando “coroou” gritaram para o médico e foi aí que deram os últimos atendimentos que, segundo as cunhadas, não demorou mais que dez minutos, elas imaginavam que a placenta não deveria ter sido expelida, somente o bebê que nasceu.

DENUNCIA GRAVE

A senhora teve Bebê no sábado, aparentemente estava bem após o parto normal, no domingo quando as cunhadas voltaram ao hospital a paciente já não estava bem, queixava de muitas dores e estava febril, voltaram na segunda-feira e obtiveram a informação do médico que não era para a paciente ter alta devido que não estava muito bem, na terça-feira a paciente teve alta e foi para casa, ao chegar em casa uma das cunhadas percebeu que a paciente não estava nada bem chorava muito, febre alta e estava sem menstruar, o que segundo as cunhadas teria que ser normal vir a menstruação após o parto.

OUÇA O VÍDEO GRAVADO PELO BOCA DE RUA.

A paciente estava reclamando que parecia haver uma bola dentro da barriga que se mexia e causava dores horríveis, insuportáveis acompanhada de febre alta.

Quando as cunhadas voltaram com a paciente ao hospital e uma enfermeira, que as atendeu, disse que novamente ia interná-la e medicá-la para, no dia seguinte, que seria nessa quarta-feira (16/04), faria, logo pela manhã, um exame de ultrassonografia o que não ocorreu no dia (16/04).

Vendo o desespero da cunhada e a bbzinha sem poder ser amamentada pela mãe, pois ela não estava tendo condições físicas de amamentar a bbzinha que está tomando leite de lata, o BOCA DE RUA saiui em socorro da paciente.

Com toda essa situação caótica e desumana que essas cunhadas estavam passando ainda foram extremamente destratadas pelos profissionais que estava em atendimento à paciente, segundo as alegações dos profissionais, não tinham médicos para fazer o exame de ultrassonografia, tem a máquina mas não tem o profissional, segundo as denunciantes os profissionais disseram que não ganham para isso, e que dependia da boa vontade deles em querer atender ou não.

Essas falas desses profissionais, supostamente, caracterizam OMISSÃO DE SOCORRO, como assim depende da vontade deles se querem atender ou não?

erro_medico

O BOCA DE RUA ligou para o Secretário da Saúde que, bem diferente do ex Secretário, atendeu prontamente e disse que era para ir procurar o enfermeiro chefe do hospital, o BOCA DE RUA acompanhou as cunhadas da paciente e quando chegou ao hospital chamou pelo enfermeiro chefe que sequer nos atendeu, alegando estar extremamente ocupado e que no momento não podia nos atender, novamente o BOCA DE RUA entrou em contato com o Secretário da saúde indo ate o local onde ele costuma estar que mais uma vez nos atendeu prontamente e fomos até a paciente ele nos disse que o abdômen da paciente estava endurecido e que talvez fosse necessário fazer uma Mastectomia (retirada do útero) urgente pois a paciente encontrava-se muito febril, e que ia providenciar a remoção da mesma para o Hospital Regional de Itanhaém, quando o BOCA DE RUA ligou para o chefe das ambulâncias e dentro de uma hora ela já havia sido removida.

O BOCA DE RUA soube, em épocas passadas, que esse enfermeiro falou de maneira bem deselegante do BOCA dizendo que não suporta a dona do BOCA.

Vai aqui um recado a esse senhor que sequer se dignou a nos atender, o senhor não precisa gostar ou deixar de gostar da dona do BOCA DE RUA apenas o senhor respeite o cidadão como cidadão que paga o salário de todos os servidores públicos para o senhor e todos servir a população sem discriminação sem paixões ou rancores, ódio ou amores, apenas cumpra com o seu dever que é atender a população de maneira imparcial, pode ser bonita, feia, gorda magra moça ou velha não importa o que importa é que o senhor tem que atender bem a todos e não precisa gostar de mim, basta apenas atender aos meus pedidos que nunca pedi nada para mim, só para quem é maltratado, para quem está à margem dos atendimentos Vips, para quem não tem amigo político ou QI, para quem não tem voz nem vez, para quem não tem, como diz no popular, “cartucho” o atendimento é no “bico da bota”?

Não podemos permitir que um cidadão, seja ele quem for, seja tratado de maneira desumana, seja tratado com a maior falta de delicadeza, sendo que a família já está fragilizada por ver o ente querido sofrendo como essa paciente estava, a bbzinha sem poder ser amamentada pela mãe por que talvez o profissional não percebeu que ela não conseguia urinar, estava com a Urina presa e a placenta, supostamente, ainda dentro da barriga?

Será que isso é corriqueiro acontecer em uma maternidade? A paciente pós parto ficar com a Urina presa e o médico não detectar o básico que é uma bexiga com, aproximadamente, três litros de Urina? Havia indícios que a placenta não tinha sido expelida, e não se tratava de restos placentários e sim, supostamente toda ela, que ficou comprovado que além da Urina presa a Placenta não havia sido expelida, segundo as denunciantes relataram ao BOCA DE RUA.

Como a paciente estava desde Sábado (12/04) gemendo de dor, ainda assim recebeu alta na terça-feira, pela manhã e quando foi à tarde deu entrada novamente no Hospital gemendo de dor e com febre alta, o profissional que a atendeu disse que no dia seguinte, logo pela manhã seria feito o exame de ultrassonografia o que não foi feito, sob a alegação do médico que não tinha somente essa paciente para fazer o tal exame.

Hoje, (18/04) o atual Secretário da Saúde informou ao BOCA DE RUA que todo o problema dessa paciente era Urina presa, ela correu o risco de contrair uma infecção generalizada, uma intoxicação renal, devido que os “profissionais” da área médica não souberam detectar que seria urina presa e a PLACENTA que não havia sido expelida e que nada que uma sonda não resolveria o problema da paciente.

ERROS MÉDICOS SÃO IMPERDOÁVEIS, INADMISSÍVEIS E IRREVERSÍVEIS.

05-02-2014_erro_medico

Nada justifica a atitude de um profissional da Saúde, quer seja médico ou enfermeiro, tal como esses dois profissionais da área da SAÚDE que destrataram a família da paciente, e sequer atendeu ao chamado do BOCA DE RUA para, pelo menos, saber do que se tratava, o Secretário da Saúde precisa tomar uma atitude urgente referente a esses “profissionais” eles não podem estar no convívio social, terão que ser qualificados para o exercício de tal função.

A família dessa paciente terá que tomar as medidas cabíveis referente a esse péssimo atendimento que ela teve com esses profissionais do PS Central.

Ainda bem que esse Secretário não é igual ao ex Secretário que ganhou MOÇÃO do vereador Rafael, aquele que foi convidado a se retirar do setor da Saúde, se fosse o Ex Secretário que tivesse ainda à frente desse setor, certamente, a paciente teria vindo a óbito, e seria mais uma família a chorar a perda de ente querido pois ele não atendia mais nenhum chamado do BOCA DE RUA quando o BOCA DE RUA foi até onde estava o atual Secretário e o chamou para ver a paciente ele atendeu de pronto e logo em seguida pediu a remoção da referida para o hospital Regional de Itanhaém, que foi assim que a paciente conseguiu sobreviver, tendo em vista lá, nesse hospital, ela está sendo muito bem atendida.

Será que precisamos de pessoas com o perfil dessa profissional para cuidar de nossos pacientes? É claro que não.

MEDICA ASSASSINA

POSTADO PELA EQUIPE DO BOCA DE RUA

BASTA ERROS

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>