Caso mal resolvido na Saúde Pública de Peruíbe.

NOTICIAS-DA-SAUDE

HÁ FORTES INDÍCIOS QUE ESTARIA HAVENDO UMA SUPOSTA VENDA DE PRODUTOS RADIOATIVO DA SAÚDE DE PERUÍBE

No dia 18 de Outubro de 2017, quase final do ano passado, houve uma apreensão de um veículo por estar transportando produtos do setor de Raio X da Saúde de Peruíbe capitaneado por uma funcionária Pública de carreira, aliás, dois funcionários Públicos de carreira.

LIQUIDO RAIO X

ALGUÉM SE LEMBRA DA CONTAMINAÇÃO DO CÉSIO 137 EM GOIÂNIA?

cesio 137

UM BREVE RELATO DA HISTÓRIA DO PASSADO

Em 13 de Setembro de 1987, em Goiânia, o elemento radioativo ficava dentro de um aparelho de raio X abandonado no antigo Instituto Goiano de Radioterapia (IGR), no Setor Central de Goiânia. Pouco depois das 13h, os catadores de sucata Wagner Pereira, então com 19 anos, e Roberto Alves, 22, deixaram o prédio carregando os 122kg do equipamento, dividido em dois cilindros. De lá, seguiram para a Rua 57, onde, a marretadas, liberaram, pela primeira vez, o césio no ambiente. A partir de então, o pó branco de brilho azul circularia por pelo menos quatro setores de Goiânia e contaminaria centenas de pessoas em poucos dias e milhares, em anos.

Esse foi o resumo de uma história mais ou menos semelhante com a que aconteceu em Goiânia e 30 anos após em Peruíbe, onde se descartava o Líquido Radioativo de maneira nada prevista nas Leis ambientais, pois esse líquido juntamente com as placas de Raio X eram vendidos, ou doados, ou descartados de maneira aleatória sem nenhum critério com o devido cuidado por se tratar de Líquido altamente Radioativo, tanto o Líquido como os demais materiais que eram descartados e uma Empresa de São Paulo é que fazia o recolhe, veja como era feito a recolha do Líquido e do material de Raio X.

DECLARACAO-DO-FELIPE

Após inúmeras investigações e pesquisas o BOCA DE RUA obteve tais informações que sabia ser de fundamental importância para enriquecer a Representação que fora feita no Ministério Público de Peruíbe, contra os envolvidos no descarte irregular dos produtos radioativos.

DA REPRESENTAÇÃO NO MINISTÉRIO PÚBLICO.

DENUNCIA-NO-MP

O BOCA DE RUA foi informar ao Secretário da Saúde da gravidade do problema pelo que o referido disse que não via gravidade alguma dos envolvidos estarem descartando o produto com uma Empresa de São Paulo, ocorre que o contrato, segundo o responsável pela retirada do produto, foi feito entre ele e a servidora pública a senhora  Adriana Bechara, vejam a declaração do responsável pela retirada do produto, seria nesse ponto que estaria a gravidade do problema?

DECLARACAO-DO-LIQUIDO-DE-RA

VEJA QUEM ENTREGAVA O PRODUTO À EMPRESA

NOTA-FISCAL-1.
NOTA FISCAL 2
MATERIAL RADIOATIVO

PROTOCOLO QUE O BOCA DE RUA PEDIU INFORMAÇÃO PARA A PREFEITURA

PROTOCOLO

RESPOSTA DO SETOR ADMINISTRATIVO

RESPOSTA DO FABINHO

COMO PREMIO O SECRETÁRIO DA SAÚDE PRESENTEOU COM DUAS PORTARIAS PARA DUAS SERVIDORAS

PORTARIA DA SERVIDORA PUBLICA
PORTARIA DA MARIANY

A senhora Mariany Cristina Cottet Moratori matrícula 7377 é esposa do senhor Phellipe que assinou as Notas Fiscais e entregava os produtos a Empresa sem que tivesse um Contrato oficial com a prefeitura, tinha contrato mas direto com a Servidora Adriana Bechara. Talvez como prêmio da Servidora ter,  por conta própria, estabelecido Contrato com Empresas para descartar líquido radioativo, ela recebeu promoção, esses produtos  têm sim valor agregado e elevado, não fosse isso a Empresa jamais viria de São Paulo para coletar o Líquido e as Chapas de Raio X que contém, em seu conteúdo prata, material com custo altamente elevado, devido a prata que toda Chapa de Raio X contém, depois de retirada a prata onde é descartado o material excedente?

DO CONTRATO COM A EMPRESA KON TATO COMERCIAL LTDA EPP

CONTRATO COM A KONTATO

A DATA DO CONTRATO OFICIAL COM A PREFEITURA DE PERUÍBE 05 DE JULHO DE 2017

DATA-DO-CONTRATO

Essa data desse Contrato está muito estranha, se havia um Contrato oficial com a prefeitura desde 05 de Julho de 2017, como explica a retirada dos produtos pela Empresa que não tinha contrato oficial com a prefeitura e sim com a Servidora Pública, ter vindo retirar em 18 Outubro de 2017 quando foi pega em flagrante que houve a interceptação do veículo Kombi com o material em seu interior que logo após todos os trâmites legais terem sido feito o Dr. Delegado Brandão nomeou como fiel depositário o Secretário da Defesa Social, foto que mostra o liquido na caçamba da viatura da Defesa Social. Atentem para as datas nas Declarações que foram feitas na Delegacia no ato da Apreensão do veículo transportando os produtos do setor do Raio X da Saúde Pública, 18 de Outubro de 2017.

RAIO X

VEÍCULO DA EMPRESA REMOSEL FAZENDO A COLETA DO MATERIAL EM 18 DE OUTUBRO DE 2017

VEICULO-APREENDIDO1

PROTOCOLO DE PEDIDO DE INFORMAÇÃO REFERENTE AO ARMAZENAMENTO DO PRODUTO

PROTOCOLO-DO-PEDIDO

RESPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO, ESTARIA TENDO ALGUMA CONTRADIÇÃO NESSE CASO?

RESPOSTA-DA-ADMINISTRACAO-2

Tudo indica que esteja havendo algumas contradições referente às informações que não estão batendo, estariam sendo uma contraditória deles mesmos?

O BOCA DE RUA sabe de fonte cristalina que terão aqueles que vão questionar a publicação de um fato que ocorreu lá atrás, no mês de Outubro de 2017, ocorre que só veio à tona agora, por conta do Recesso e as informações preciosas só chegarem agora em 26 de Janeiro de 2018, mas sempre é tempo de informar toda a população de toda verdade de todos os fatos que acontecem na cidade, esse da Saúde interessa a toda população sim por que se trata de Saúde Pública.

POSTADO PELA EQUIPE DO BOCA DE RUA

RAIO-X-DA-SAUDE1

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>