Polêmica do hospital de campanha de Peruíbe, o BOCA DE RUA sempre foi a favor da abertura da Maternidade, jamais, transformá-la em Hospital de Campanha.

DENUNCIANTE, MUNÍCIPE DE PERUÍBE, FAZ DENÚNCIAS COM ALGUNS PONTOS QUE NÃO SÃO VERDADEIROS.

A verdadeira entrada da Maternidade, hoje transformada em hospital de Campanha, é pela AVENIDA DOS EXPEDICIONÁRIOS, não é pela Rua Alfredo Gomes como, de maneira tendenciosa, insistem em veicular uma Fake News desta proporção. Onde foi veiculado que seria a entrada do hospital de Campanha, ainda em reforma, não reflete a verdade dos fatos.

6--FOTO-QUE-NAO-E-VERDADEIRA
7--FOTO-MENTIROSA

Como podem perceber a matéria veiculada está eivada de erros em pontos que chamam a atenção da população em virtude do apresentador do programa dar destaque na entrada não verdadeira que ali encontra-se um pedreiro e um carrinho de mão, obviamente por que não é a realidade dos fatos, ali está passando pelo processo de reforma pois serão implantados outros setores da Saúde para favorecer ao paciente, porém, ainda em fase de reforma.

Algumas pessoas disseram que a entrada não tem relevância se é este local ou não, tem sim extrema relevância, haja vista, foi citada e exibida com bastante ênfase pelo apresentador do programa e pelo Jornalista da Emissora que exibiu a matéria.
8--FOTO-MENTIROSA

Este local, ainda em reforma, será a CENTRAL DE VAGAS DA CROSS, MARCAÇÃO DA FROTA, UBS CENTRAL E ADMINISTRAÇÃO DA SAÚDE, será que é difícil entender a verdade e exibi-la como realmente se apresenta? Não se deve induzir o jornalista a erro muito menos a população que não merece receber FAKE NEWS nesta magnitude.

O denunciante, que é um cidadão, um homem, preferiu omitir a sua identidade, mantendo-se no anonimato, alegando temer represálias, haja vista, verificamos que nas informações do senhor denunciante há pontos que não são verdadeiros, seria este o motivo de optar por permanecer no anonimato? Caso a informação ao Jornalista da BAND fosse repassada, de maneira verdadeira, não teria por que se manter com a identidade preservada, haja vista, tudo o que estaria veiculando, partiria do pressuposto na visão do Jornalista da BAND, que fosse a total verdade dos fatos ali denunciados. Pelo que o jornalista foi induzido a erro, veiculando como sendo a entrada do Hospital de Campanha na RUA ALFREDO GOMES onde foram exibidas várias imagens nas filmagens, o que seria de bom tom e ficaria com total credibilidade caso o Jornalista pormenorizasse o que estava sendo veiculado e exibido.

Esta é a verdade dos fatos, onde foi publicada com ênfase que este local seria a entrada do Hospital de Campanha, antigamente seria a Maternidade, hoje, a entrada do hospital de campanha.

O SENHOR, CIDADÃO, DIZ EM SUA DENÚNCIA AO JORNALISTA DA BAND, QUE É O PACIENTE QUEM COMPRA O MATERIAL PARA PROCEDIMENTO DE GESSO.

3-SALA-DE-GESSO
4-SALA-DE-GESSO
5-SALA-DE-GESSO

VAZOU INFORMAÇÃO, PARA O BOCA DE RUA, QUE TERIA ESTA FILMAGEM, “EM OFF” DESTA EMISSORA, O BOCA DE RUA OPTOU POR FICAR QUIETO.

Como das vezes anteriores o BOCA DE RUA sempre soube, antecipadamente, que seriam veiculadas matérias contraditórias ao governo, sempre se manteve em silêncio para não frustrar o trabalho das Emissoras e por nunca estar a favor de governo algum, sempre esteve e sempre estará pautado na verdade dos fatos, por isso o BOCA DE RUA mesmo sabendo de tudo que viriam fazer esta matéria se manteve quieto, não revelou nada a ninguém, tanto que a matéria obteve êxito, porém, com estes pontos que não são verdadeiros, caso o BOCA DE RUA soubesse que teriam pontos que não eram verdadeiros, teria avisado ao Jornalista para ele não ser penalizado numa eventual Ação de Fake News.

A RESPOSTA DO PREFEITO DE PERUÍBE, TEMOS QUE OUVIR OS DOIS LADOS SEMPRE!

POR QUE TERÍAMOS QUE NÃO QUERER OS RESPIRADORES E ENVIARMOS À CIDADE DO APRESENTADOR DO PROGRAMA COMO ELE SUGERIU?

Só nos dê um motivo para não querermos os respiradores e, sendo assim, enviar para a cidade do apresentador do programa, se isso ocorresse seria um desvio de mercadoria, onde a referida é endereçada a um determinado local e desvia para outro local, ainda que fosse por uma causa nobre, há muitos anos, ou seja, na primeira década do ano 2000, isso ocorreu sim de vir um Ultrassom para o PS de Itanhaém e ele foi entregue em outro local, o Estado penalizou, há época, de maneira severa a Administração da Saúde de Peruíbe, por ela ter “desviado a mercadoria para outro local”.

POSTADO PELA EQUIPE DO BOCA DE RUA

grande midia

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>