A lista de “Schindler” dos oportunistas que receberam o Auxilio Emergencial do Governo Federal, Imoral e ilegal.

FAMILIA CALLADO

CONFORME O BOCA DE RUA PROMETEU A DIVULGAÇÃO ESTAMOS CUMPRINDO, O RESPEITO COM O LEITOR!

Desta família, pai e filho receberam, estão na página da transparência do Governo Federal, faça como o BOCA DE RUA fez, denuncie ao Governo Federal.

3- CALLADO
CALLADO

KIKO RECEBE AUXILIO EMERGENCIAL
07-RECEBIMENTO-DO-KIKO
KIKO E ANA PRETOKIKO E ESPOSA
PROVA DO RECEBIMENTO DO KIKO

NO ESPORTE, VEJA QUEM RECEBEU.

8- WASHINGTON
7- WASHINGTON
Washington Luiz

OUTRA RENOMADA FAMÍLIA DE PERUÍBE QUE DEVERIA DEIXAR ESTE AUXILIO PARA QUEM REALMENTE PRECISA.

6- FAMILIA OMURO
5- OMURO
OMURO

O BOCA DE RUA repudia, com veemência, a conduta desses que receberam de maneira indevida este auxilio ( o nome já diz, auxiliar as pessoas em situação de vulnerabilidade no tempo de pandemia ) e quando a pessoa vulnerável pode receber? Quando estiver qualificado neste quesito aqui ó:

REPORTAGEM DO AUXILIO

VEJA, COM EXCLUSIVIDADE, A MATÉRIA: TCU DIZ QUE MAIS DE 600 MIL PESSOAS RECEBERAM AUXÍLIO EMERGENCIAL SEM TER DIREITO.

Servidores públicos, empresários, presidiários e até pessoas que já morreram estão entre beneficiados que não tinham direito.

O Tribunal de Contas da União (TCU) identificou indícios de irregularidades no auxílio emergencial de mais de 620 mil beneficiários. Os auxílios recebidos irregularmente somam mais de R$1 bilhão.

Pessoas com renda acima do limite, servidores públicos e até mortos estão na lista dos beneficiários do auxilio emergencial, criado para ajudar desempregados, autônomos e trabalhadores de baixa renda atingidos pela crise, instituída pela pandemia do novo coronavírus. O TCU identificou ainda pagamentos do benefício a quem está recebendo seguro-desemprego e auxílio-reclusão.

38% das irregularidades encontradas são de empresários que não são microempreendedores individuais. Segundo o TCU, 235 mil empresários tiveram acesso ao benefício de R$ 600.

Para chegar as inconsistências, o TCU fez cruzamento dos dados dos beneficiários com bancos de dados da Receita Federal e do INSS, por exemplo. As informações estão no Relatório de Acompanhamento de dados, relacionados às ações de combate à Covid-19, divulgado dia 8 de julho.

O governo federal tem 15 dias para indicar ao TCU medidas para reduzir os índices de inconsistências. De acordo com o Ministério da Cidadania, responsável pelo programa, cerca de 400 mil benefícios foram bloqueados antes mesmo do relatório do TCU. Destes, 61 mil funcionários públicos, 46% do total apontado pelo TCU, e 2.300 presidiários. ( FONTE REPÓRTER NACIONAL EBC )

Caso esses recebedores aleguem que alguém utilizou, de maneira indevida,  o CPF do beneficiário, igual fez o apresentador do jornal da grande mídia Willian Bonner, para justificar, em vão, o erro do filho, saiba que ninguém vai cair nessa falácia, haja vista ser a maior manifestação de crueldade que uma pessoa pode ter, como o CPF de pessoas bem intencionadas não foi clonado e recebido o valor indevido, sim por que há milhares de pessoas que realmente necessitam e ficaram sem receber, estando, portanto, em análise desde o começo da pandemia, sendo auxiliado pelos familiares que pouco ou nada têm também.

COM ESTE RECEBIMENTO POR PESSOAS QUE NÃO NECESSITAM, VEJA COMO FICA A SITUAÇÃO DO PAÍS:

Por volta de 620 mil pessoas que receberam o Auxílio Emergencial de maneira indevida, um gasto desnecessário aos cofres públicos na casa de 1 BILHÃO DE REAIS ( ISSO MESMO UM BILHÃO DE REAIS ) esse 1 Bilhão de reais poderia estar sendo aplicado na Saúde, na Segurança e na Educação para educar esse povo mal educado que recebe auxílio de pessoas necessitadas, os falsos moralistas da política rasteira, são os que mais brigam pelo poder, os que sempre mamaram na teta da cidade e agora por estarem fora da teta aprontam esta.

POSTADO PELA EQUIPE DO BOCA DE RUA

TROFEU CARA DE PAU

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>